Sociedade Variedades

Setembro Amarelo: Falar sobre o tema pode salvar vidas

Saúde mental, depressão e suicídio não são temas fáceis de se falar. Mas sim, é preciso debater sobre isso, afinal estudos estimam que 90% dos suicídios poderiam ter sido evitados. Com essa necessidade, surgiu, em 2015, a campanha Setembro Amarelo, capitaneada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM). Desde então, o Brasil se tinge de amarelo durante o mês para conversar e ouvir sobre este, um assunto tão delicado.

A mente é nosso templo

Este foi o tema adotado pela Zap para a campanha Setembro Amarelo em 2020. A campanha nas redes sociais da Zap tem objetivo de compartilhar informações sobre o assunto, possibilitando que as pessoas possam ter acesso a recursos de prevenção. Afinal, saber quais são as principais causas e as formas de ajudar pode ser o primeiro passo para reduzir as taxas de suicídio no Brasil.

Intervenção na sede administrativa da Zap teve como foco provocar reflexão sobre saúde emocional (Foto: Isabelle Oliveira/Equipe Zap)

Na sede administrativa da Zap, em Palmas, uma intervenção envolvendo os colaboradores trouxe reflexões sobre questões como bem-estar emocional e autoestima. A dinâmica foi realizada pela psicóloga e gestora de Recursos Humanos da Zap, Laiana Araújo, e contou com a participação dos funcionários de diversos setores.

É preciso falar

Segundo a ABP, são registrados cerca de 12 mil suicídios todos os anos no Brasil e cerca de 96,8% dos casos estão relacionados a transtornos mentais. Por isso é tão importante falar sobre isso, além de encorajar as pessoas a conversar e procurar ajuda. No Brasil, o Centro de Valorização da Vida (CVV) – uma associação civil sem fins lucrativos que trabalha com prevenção ao suicídio, recebe ligações gratuitas pelo número 188.

Além disso, no atual cenário que enfrentamos, o impacto emocional causado pelo distanciamento social forçado e o luto repentino pela perda de um ente querido podem resultar em transtornos como insônia, estresse e desânimo, ou até mesmo agravar problemas que já vinham afetando as pessoas como ansiedade e depressão. Para tentar amenizar esses danos, várias iniciativas de atendimento psicológico online, oferecendo acolhimento e escuta terapêutica estão disponíveis em diversos canais.

Precisa conversar? Falar é a melhor solução. A ajuda pode vir de um amigo, parente e também dos voluntários do CVV. Ligue 188 ou acesse www.cvv.org.br.

Por Camila Mitye
Equipe Zap