Internet Sociedade

Mulheres na Ciência: Confira invenções femininas que revolucionaram o mundo

Mais do que uma data para homenagear as mulheres com rosas e bombons, o dia 08 de março é um dia para refletir sobre a luta pelos direitos das mulheres. Embora palavras como igualdade, equidade e empoderamento estejam cada vez mais presentes nos debates sobre o assunto atualmente, não é de hoje que mulheres do mundo inteiro lutam por espaço, para demonstrar que são capazes de atuar em todos os ramos do conhecimento.

Tem dedo feminino em diversas áreas, como a ciência, onde mulheres incríveis são responsáveis por descobertas, estudos e pesquisas, mesmo em tempos onde não eram sequer ouvidas pela sociedade. Separamos algumas tecnologias e inovações desenvolvidas por mulheres que revolucionaram nossas vidas para lembrar que a ciência é, sim, lugar de mulher.

Programação

Sem um código, uma linguagem de computação, seria impossível programar uma máquina tão complexa quanto um computador. É por meio dessa linguagem que o código fonte é compilado e transformado em um programa ou usado como script, que informará instruções de processamento ao computador. Programar um computador é, então, dizer ao computador (ou outro dispositivo eletrônico inteligente) exatamente o que ele deve fazer.

Ada Lovelace. Imagem: Reprodução da Internet.

Todo esse processo é possível graças aos estudos de duas mulheres, a inglesa Ada Lovelace (1815-1852) e a norte-americana Grace Hopper (1906-1992). Augusta Ada King, Condessa de Lovelace, era filha do poeta Lord Byron e uma amante da ciência matemática. Inspirada nos cartões perfurados dos teares mecânicos, Ada pensou em um modo de programar a máquina analítica (invenção de seu professor Charles Babbage). Seria então, o primeiro algoritmo a ser processado por uma máquina.

Grace Hopper. Imagem: NMAH Archives Center/Grace Murray Hopper Collection.

Já Grace Hopper criou a Cobol, primeira linguagem complexa de computação, e por isso ganhou status de mãe da programação de computadores. Dona de uma mente muito inquieta, Hopper foi a primeira pessoa a utilizar a palavra “bug” para descrever uma falha no equipamento após encontrar uma traça causando problemas em seu computador.

Coletes à prova de balas

A fibra Kevlar, que tem a característica de ser cinco vezes mais forte que o aço (e muito mais leve), é a matéria-prima fundamental do equipamento que protege agentes de polícia do mundo inteiro, o colete à prova de balas. Trata-se de uma fibra sintética de aramida, um polímero resistente ao calor que pode ser utilizado ainda na fabricação de cerca de 200 itens como cintos de segurança, cordas, na composição de alguns pneus e o tanque de combustível de carros de Fórmula 1, entre outros.

Stephanie Kwolek. Imagem: jalopik.com.

A descoberta do processo de fabricação da fibra de aramida tipo Kevlar se iniciou em 1965, quando a cientista química norte-americana de origem polonesa Stephanie Kwolek (1923-2014), pesquisadora da DuPont, sintetizou uma série de poliamidas aromáticas. Kwolek persistiu no processo de desenvolvimento da fibra, que anos depois seria evoluída para uma ampla aplicação no mercado.

Fraldas descartáveis

Se você tem filhos sabe que este é um item indispensável, daqueles que te obrigam a sair de casa para comprar tarde da noite quando o estoque chega ao fim. A praticidade que as fraldas descartáveis trouxeram à vida dos pais e mães modernos é louvável se você lembrar como era a vida das famílias sem elas: pilhas de fraldas de pano sujas para lavar e roupas sempre molhadas com os acidentes provocados pelos vazamentos.

Marion Donovan. Imagem: National Museum of American History/SmithsonianInstitution.

A primeira pessoa a pensar em uma solução para tanta trabalheira foi, claro, uma mulher. A norte-americana Marion O’Brien Donovan (1917-1998) teve a brilhante ideia de costurar restos de cortinas plásticas de banheiro a fraldas de tecido para criar uma camada impermeável. Além disso, Donovan também desenvolveu lacres plásticos que substituíram os perigosos alfinetes para o fechamento das fraldas. Apesar de ter registrado a patente, Marion teve sua invenção roubada por Victor Mills, fundador da Pampers (uma das fabricantes de fraldas mais famosas do mundo), que nunca deu crédito a ela.

Wi-fi e fibra óptica

Enquanto a tecnologia Wi-Fi permite a conexão entre diversos dispositivos sem a necessidade de fios ou cabos, utilizando ondas de rádio para propagar a internet por meio de um roteador, a fibra óptica comporta maior tráfego de dados com a união perfeita de desempenho, resistência e durabilidade. A junção dessas duas tecnologias permitiu a popularização da internet de alta qualidade no mundo (incluindo a internet da Zap).

 Hedy Lamarr. Imagem: The Everette Collection.

Por trás disso há duas mentes femininas. A austríaca naturalizada norte-americana Hedy Lamarr (1914-2000) foi uma atriz de cinema dos anos dourados que criava engenhocas numa oficina secreta nas horas vagas. Inventora talentosa, Lamarr desenvolveu, em parceria com George Antheil, o espelhamento espectral por salto de frequência (FHSS), utilizado primeiramente para controlar torpedos e comunicações militares. Hoje o FHSS é a base da tecnologia que usamos diariamente com nossos dispositivos de GPS, smartphones, Wi-Fi e Bluetooth.

Shirley Jackson. Imagem: Reprodução da Internet.

A física teórica Dra. Shirley Jackson (1946) foi a primeira mulher negra a receber um Ph.D. do Massachussets Institute of Technology, em 1973. Enquanto trabalhava na Bell Laboratories, a norte-americana realizou uma pesquisa científica básica revolucionária que permitiu que outras pessoas inventassem o fax portátil, o telefone de teclado, as células solares, a tecnologia por trás do identificador de chamadas e chamada em espera, e, também, os cabos de fibra óptica.

 

Por Camila Mitye
Equipe Zap