Internet Sociedade

Mais de 8,5 milhões de pessoas podem ter sido vítimas do golpe de clonagem do WhatsApp no Brasil

Mais de 1,5 bilhão de pessoas no mundo inteiro se comunicam atualmente utilizando o WhatsApp e podem estar vulneráveis a golpes e ataques de hackers. Uma pesquisa realizada pela PSafe, empresa especialista na área de aplicativos de segurança, acendeu o sinal de alerta para uma situação perigosa: os resultados mostram que, a cada dia, 23 pessoas, em média, são vítimas de clonagem no aplicativo. A clonagem é um golpe que pode trazer transtornos graves à vítima, já que permite que alguém com más intenções se passe por ela, facilitando, por exemplo, a extorsão de amigos e familiares.

De acordo com a pesquisa, que entrevistou mais de 12 mil pessoas no período de 31 de julho a 13 de agosto deste ano, um cálculo proporcional dos resultados aponta que cerca de 8,5 milhões de brasileiros já foram atingidos por um golpe do tipo. Outro dado demonstrado no levantamento é que mais de um quarto dos entrevistados conhece alguém que teve a conta do WhatsApp hackeada ou roubada, prova de que o crime tem se tornado cada vez mais comum.

Como a clonagem é possível?

Para isso os golpistas contam, geralmente, com a ingenuidade das pessoas. Após conseguir o número de telefone que a possível vítima utiliza para acessar o WhatsApp, o hacker tenta acesso e aplicativo solicita o código de confirmação enviado via SMS para o smartphone do usuário. Como ele tem acesso às mensagens de texto, o criminoso entra em contato com a vítima com algum argumento falso (em geral se passando por alguém do WhatsApp) e solicita que lhe informe esse código. É aí que o usuário perde o acesso à sua conta, pelo menos temporariamente, que passa a ser utiliza pelo falsário.

Como saber se meu aplicativo foi clonado?

Um dos sinais aparece se você estiver utilizando normalmente seu smartphone quando de repente o WhatsApp para de funcionar e a seguinte mensagem de alerta aparece na tela: “Não foi possível verificar este telefone. Provavelmente, porque você registrou seu número de telefone no WhatsApp em outro aparelho”. Se você não trocou o chip nem instalou seu aplicativo em outro telefone, este é um sinal grave de que alguém conseguiu acessar a sua conta a partir de outro aparelho e certamente já tem acesso às suas mensagens e dados pessoais.

Caso desconfie que esteja sendo vítima de um golpe de clonagem, há alguns passos para contornar o problema. Em primeiro lugar, siga até Configurações > WhatsApp Web e selecione “Sair de todos os computadores”. Isso já elimina a possibilidade de alguém estar utilizando sua conta no WhatsApp Web em algum computador.

Você também pode pedir ao WhatsApp que desative sua conta, enviando um e-mail com a solicitação e seus dados para support@whatsapp.com. Caso o hacker tenha tentado extorquir ou chantagear algum contato seu, é aconselhado que você formalize um boletim de ocorrência em uma unidade policial especializada em crimes cibernéticos. Mesmo que não seja possível encontrar o autor do crime, o registro da queixa auxilia na contabilização dos números de casos e no planejamento de combate a crimes desta natureza.

Como se proteger?

Manter em seu smartphone um antivírus atualizado, criando uma barreira para a entrada de hackers em seu aparelho por meio de links e spywares, é um passo indispensável. Mas o bom senso e a precaução devem sempre prevalecer e medidas de segurança nunca são demais. Uma forma eficiente de evitar esse tipo de ataque é jamais informar para ninguém o número de autenticação que chega por SMS, que é um dos mecanismos de segurança do aplicativo. Outra opção ainda mais segura é ativar nas configurações do WhatsApp a verificação em duas etapas e, a partir de então, qualquer tentativa de verificação do seu número de telefone no WhatsApp terá de ser acompanhada por um PIN de seis dígitos criado por você através deste recurso. A ativação é feita no menu de configurações, na aba chamada de “Conta”.

Por Camila Mitye
Equipe Zap

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *