Sociedade Variedades

Brasil assume meta de reduzir açúcar em alimentos industrializados

O Ministério da Saúde trouxe uma boa notícia para pais e mães brasileiros: a intenção de reduzir 144 mil toneladas de açúcar de bolos, misturas para bolos, produtos lácteos, achocolatados, bebidas açucaradas e biscoitos recheados até 2022. O acordo foi assinado nesta segunda-feira, 26, em Brasília (DF), pelo ministro da Saúde, Gilberto Occhi, os presidentes de associações do setor produtivo de alimentos e a ANVISA, que deve monitorar a redução via rótulo.

“O acordo vai ajudar a melhorar a conscientização da população na busca de alimentos mais saudáveis. O apoio da indústria na redução do açúcar permitirá que população busque uma vida mais saudável e tenha menos problemas de doenças que possam ser evitadas”, disse o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, conforme informações do ministério.

Comuns nas refeições oferecidas principalmente às crianças, alimentos como biscoitos e produtos lácteos terão maiores percentuais de meta para redução da quantidade de açúcar, com diminuição de 62,4% para os primeiros e 53,9% para os segundos. Já os achocolatados terão redução de até 10,5%. Todas as metas foram estabelecidas de acordo com diversos critérios que envolvem desde o consumo e distribuição dos teores de açúcar dos alimentos até a adição ou substituição por adoçantes.

A ANVISA fará o monitoramento da redução a cada dois anos, sendo a primeira análise no final de 2020. Firmaram o acordo com o ministério a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (ABIA), a Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas Não Alcoólicas (ABIR), a Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães e Bolos Industrializados (ABIMAPI) e a Associação Brasileira de Laticínios (Viva Lácteos).

Segundo o Ministério da Saúde, os brasileiros consomem 50% a mais de açúcar do que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Isso significa que, por dia, cada brasileiro, consome em média 18 colheres de chá do produto (o que corresponde a 80g de açúcar/dia), quando o recomendado seria até 12. A preocupação com o consumo se dá por conta de dados que demonstram que o alto de açúcar consumido no país já impacta no aumento de doenças como o diabetes e a obesidade.

Por Camila Mitye
Equipe Zap

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *